Posts

TV, games e aprendizado

kids-watching-television-600x400

Quando o assunto é TV, games e outros dispositivos eletrônicos, a Academia Americana e a Sociedade Brasileira de pediatria concordam: o ideal é “zero telinha” até os dois anos de idade. Dos 2 aos 5 anos, o tempo dedicado aos eletrônicos deve ser, no máximo, de duas horas por dia, somando todos os meios. Infelizmente as famílias não seguem esta cartilha. Segundo a neuropediatra Christian Muller, “Os prejuízos são físicos (dores de cabeça, problemas de vista precoce, alterações na postura), emocionais e comportamentais (irritabilidade, agressividade, alteração no sono, sexualidade precoce, dificuldade de aprender e se concentrar)”. Segundo a Neuropsicóloga Adriana Foz, “as crianças que são submetidas à TV e jogos por muitas horas deixam de emitir ordens cerebrais do tipo ‘beta’, que são responsáveis por medir a atividade do lóbulo frontal, que controla as emoções. Assim, quando o nível de ondas beta diminui, as pessoas se irritam com mais facilidade e apresentam problemas de concentração, explicou o pesquisador. Isso foi comprovado após estudos realizados com 240 crianças, entre 3 e 9 anos.

Os jogos eletrônicos provocam ainda mais distúrbios de atenção, dificuldade de aprendizagem e de hiperatividade do que a TV. Na maioria dos jogos utilizados normalmente com muita luz e ação de movimentos repetitivos, sucedendo-se com rapidez, a reação do jogador é sempre automática, pois o pensamento consciente é muito mais lento. Assim, esses jogos representados em máquinas especiais como Playstation e Game Boy, conseguem exibir da ordem de um bilhão de imagens por segundo, mas só quem “percebe” isso é o cérebro. Ou seja, esta prática provoca uma deseducação da concentração. Como uma criança vai tolerar ficar quieta em uma carteira, em processo de alfabetização escolar, se estão viciadas em agir freneticamente nos jogos eletrônicos de ação? Atenção exige concentração mental.

Estamos falando aqui de dificuldade em aprender, que gera baixa autoestima, afastamento social e tantos outros “sentimentos” que podem ser transformados em patologias e/ou problemas graves durante o crescimento.

O aumento do uso de drogas psicotrópicas pode ser devido justamente à incapacidade de se criar imagens interiores, capacidade prejudicada pela TV e pelos jogos eletrônicos; como isso talvez seja uma necessidade, elas são criadas artificialmente pelas drogas.

Quem lê exercita seu pensamento lógico ou imaginativo. Quem vê TV ou joga video game está cada vez mais prejudicando sua capacidade de imaginar e pensar. Isso é ruim para adultos, mas é trágico no caso de crianças e jovens, que não aprendem a controlar seu corpo e suas ações.

Augusto Cury, médico estudioso da função cerebral há mais de 30 anos, descobriu a Síndrome do Pensamento Acelerado. Essa síndrome diz respeito à construção do pensamento. Quando pensamos rápido demais ou em excesso, violamos o que deveria ser inviolável: o ritmo da formação do raciocínio/ pensamentos.

Isso gera consequências seriíssimas para a saúde emocional, como a ansiedade. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 20% da população sofre com a depressão. A ansiedade provavelmente é sentida por 80%, de crianças a idosos. Pensar é bom, pensar com consciência crítica é ótimo, mas sem gerenciamento, desenvolver uma atividade cerebral impulsiva é uma bomba para a saúde psíquica, para o desenvolvimento de uma mente livre e criativa. Toda vez que hiperaceleramos os pensamentos, a emoção perde em qualidade, estabilidade e profundidade. São necessários cada vez mais estímulos, aplausos e reconhecimento para sentirmos migalhas de prazer. E assim estamos formando uma sociedade infeliz e cheia de problemas.

 

Texto: Gabriela Camarotti

 

 

Um comentário em “TV, games e aprendizado

  1. Gabriela Camarotti. Obrigado por retomar este assunto nestes tempos em que os pais estão hiper-conectados nas redes sociais e, para assim permanecerem, vivem entretendo seus filhos com filmes e jogos do Youtube, desde o café da manhã até a hora de dormir.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s